Educação para a Vida

Fale com a gente

Notícias

  • Home
  • Notícia
  • Crianças com deficiência: quando o futuro é hoje

Crianças com deficiência: quando o futuro é hoje

Ninguém está preparado para gestar e ver nascer uma criança com deficiência. Por mais instruídos como mães e pais, por mais sensibilizados que sejamos como cidadãos com todas as causas e movimentos de aceitação e inclusão dessas crianças na sociedade, diante do diagnóstico ou da percepção da deficiência, o que sentimos é pânico.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 1 bilhão de pessoas tem algum tipo de deficiência no mundo e, uma em cada dez, é criança. No Brasil, 45,6 milhões de pessoas são portadoras de deficiência. Destas, 7,5% são crianças de até 14 anos de idade, segundo o último censo do IBGE, de 2010, ou seja, cerca de 3,5 milhões de crianças.

Entre 2000 e 2010, houve uma queda de 5,5% no número de crianças do grupo de 0 a 14 anos. Mas mesmo com a diminuição, o volume de crianças com deficiência dentro dessa faixa etária cresceu 3,2%. “Hoje, é muito mais comum encontrarmos crianças com deficiência nos espaços públicos, nas praças e parques e, principalmente, nas escolas, porque elas estão mais inseridas na sociedade”, explica a psicóloga.

A sociedade brasileira, segundo especialistas ainda tem muito o que aprender. Aceitar, incluir e conviver com uma criança com deficiência é um tabu tão grande que ninguém sabe bem como se referir a ele. “Não as chamamos de crianças com necessidades especiais, porque todos precisamos de atenção, amor, de um trabalho, de amigos, de escola. Também não falamos deficientes, porque isso confere a elas uma menor valia, como se não fossem capazes de nada. Essas crianças têm a deficiência como uma de suas características e ponto.”

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *